Briguei com meu leitor beta e olha no que deu.

By | 03:21:00

Antes de mais nada peço desculpas por esse título com cara de “youtuber”, mas precisava chamar a sua atenção para esse assunto que ainda gera dúvidas e discussões (tretas mesmo) entre autores novatos e independentes. Além do mais, lendo esse artigo até o final, você perceberá que esse título não é todo “falso”.

Vamos lá?

A opinião dos leitores é, sem dúvida, uma das coisas mais importantes na vida de um autor, afinal, sem ela o livro perde boa parte de seu simples sentido de existir.

Opiniões, pitacos ou palpites, não importa, elas estão sempre lá, tendo forte impacto, antes mesmo da publicação do dito livro. É nesse período que conhecemos os tais Leitores beta, figuras tão importantes e indispensáveis no processo de concepção de uma obra literária.

Continue lendo esse artigo para saber mais sobre o que são, qual seu papel e como conseguir um leitor beta que te ajude na produção do seu livro.

O que são?


Na indústria, uma versão beta é algo, um produto, ou serviço que ainda está em fase de testes e precisa de opiniões externas para dar aquela “aparada nas arestas” finais.

No meio editorial chamam-se leitores beta (ou beta reader) pessoas que têm acesso à leitura de um livro antes da publicação, ou seja, ainda no manuscrito ou no meio do processo de escrita.
Resumindo: o cara que vai ler seu livro antes de todo mundo.

Por que são tão importantes?

É do leitor beta que partem as primeiras opiniões sobre o livro que está sendo produzido. Sua visão exterior revela aspectos da estrutura da obra que passam despercebidos por nós, autores (afinal, para nós, nosso texto é sempre uma obra-prima). É a partir dessas primeiras opiniões que o autor pode dar inicio a outro processo primordial na produção de seu livro: a lapidação ou reescrita do texto.

Mas, como achar um bom leitor beta?

Bem, sou meio chato quanto a isso e tenho uma série de características que julgo indispensáveis na hora de escolher meus leitores beta, e resolvi listá-las aqui para vocês.

1 – Ser alguém de confiança

Supõe-se que no processo de produção você ainda não registrou sua obra, então, nesses casos recomenda-se buscar leitores betas em seu círculo de confiança, que não divulgarão sua obra indevidamente antes da hora. Em casos assim é bom sempre recorrer a amigos e conhecidos e correr dos grupos de divulgação de autores iniciantes.

2 – Gostar de ler

Parece meio óbvio que seu leitor beta seja “um puta” de um leitor assíduo, porém, é bom ressaltar a importância de buscar. Nada de ficar torrando o saco de outros escritores. Eles têm suas próprias obras para colocar para frente e provavelmente não vão dispor do tempo necessário para mergulhar na leitura de seu manuscrito.

3 – Ser comprometido

Afinal, de que adianta encontrar um leitor beta que adora compartilhar seu amor pela leitura nas suas mídias sociais, mas que vai demorar mais do que um ano para terminar de ler seu livro? A produção não pode esperar isso tudo. Então, é bom sempre procurar leitores que além de comprometidos, sejam devoradores de livros. Uma dica para incrementar o foco do beta em seu texto é bolar formas de recompensá-lo, seja com um brinde, uma promoção, ou, caso seja outro autor, promover aquela velha troca de favores. É meu filho, quem trabalha de graça é relógio.

4- Bom conhecimento de português

Mesmo não sendo propriamente função do beta catar erros de português, apontá-los de vez em quando já seria uma grande ajuda no processo de revisão, mais à frente. O cara nem precisa ser o professor Pasquale, basta um entendimento básico da língua para apontar erros mais grosseiros. No entanto, como eu disse, essa não é a função do beta, ele só fará a revisão se quiser.

5- Ser sincero

Essa pode ser uma das mais importantes características e basicamente se resume ao fato de seu leitor beta ser capaz de, ao fim da leitura, olhar em seus olhos e dizer se aquilo que você lhe entregou está uma bosta ou não. Pois acredite: puxa-saquismo e tapinha nas costas é o que você, autor, menos precisa nessa etapa tão importante na construção de sua obra, pois faz com que seu ego tape seus olhos para as imperfeições e fraquezas de sua narrativa. Ah, também é bom lembrar que é importante que seu leitor beta seja apreciador do gênero em que se livro se enquadra, pois só assim ele terá no que se embasar na hora de dizer o que achou, afinal.

Atenção: nada de ficar com raiva caso o seu beta detone seu (amado, idolatrado) livro. Não existe nada mais leite com pêra do que discutir ou brigar por uma opinião que você mesmo pediu, certo? Aprenda a respeitar a opinião do beta, e caso concorde com ela, tenha em mente que se algo no livro não ficou claro, a culpa é exclusivamente sua, e é a deixa para, quem sabe, rescrever a coisa toda.

Leitor beta, leitor crítico e revisor são a mesma coisa?


A resposta é não.

Apesar de uma pessoa ser capaz de fazer ambas as coisas ao mesmo tempo, cada função tem seu enfoque específico e o recomendado seria encontrar uma pessoa para cada função. Para evitar confusões futuras, vou explicar a diferença que muitos parecem ignorar.

Apesar de ter uma opinião crítica, um leitor beta é diferente de um leitor crítico. Enquanto o beta pode ser considerado um leitor “civil”, um leitor crítico geralmente já é um profissional da área, possuindo maior conhecimento de estrutura, narrativa, vocabulário e outros aspectos que devem compor seu livro e será nisso que ele irá se focar para realmente dizer se seu livro está com a trama coesa, narrativa fluída e estruturalmente bem escrito.

Em geral, o trabalho de um leitor crítico é muito mais minucioso e em resumo tem a função de apontar se seu livro está ou não pronto para o mercado.

Apesar de ambos poderem cobrar por seus serviços, é muito mais comum que o leitor crítico seja remunerado pelo autor.

Já o revisor é o profissional que se encontra na última etapa da produção, antes do livro seguir para a gráfica. Não se engane achando que apenas uma pessoa é responsável por esse processo. Um livro, depois de aceito para publicação, pode passar por inúmeras revisões com profissionais diferentes (e mesmo assim escapar uma letrinha faltando ou trocadas no produto final).

Apesar de também poder ter sua opinião crítica, seu trabalho é focar na língua e garantir que o texto tenha um português correto, independente do texto, estruturalmente falando, estar bem escrito, interessante ou não.

Entendeu a diferença?

Agora que você já sabe que bicho é esse, onde se encontra e o que faz, é hora de tomar coragem e procurar um beta para aquele seu livro que está há algum tempo esperando para ver a luz do sol.
Lembre-se: a relação entre o autor e um leitor beta pode ser considerado como um casamento (???), e como em qualquer relacionamento, abusos podem cagar a coisa toda.

Então, vai com calma, no sapatinho literário, e seja feliz.

Eai, esse artigo lhe foi útil? Então você pode me pagar por ele. Sim. Pagar. Só que eu não quero seu dinheiro. Você me paga (e me ajuda pra caramba) comentando o que achou aqui em baixo ou compartilhando esse artigo com outras pessoas que precisem. Ok?

Já conhece meu trabalho como escritor de fantasia? É só clicar no banner abaixo para ler "Bella Café - A morte e as damas da noite", meu primeiro romance de fantasia urbana disponível no Wattpad.

Abraço!


Postagem mais recente Postagem mais antiga