#Resenha | Poker com o Diabo, de Italo Guimarães

By | 14:28:00


“Começar com livros menores não te faz um autor menor. Te faz um autor pé no chão”

Foi partindo desse pensamento e tentando me encher de otimismo que finalmente iniciei a leitura de Poker com o Diabo, livro de estreia de Italo Guimarães, lançado pela Editora Garcia.

Não vou mentir. Desde que recebi o livro que mantive o pé atrás com o mesmo. O motivo, o numero de páginas: pouco mais que 104. Não levei fé, pronto, falei. Mas, que porra. Não é que mordi a língua? Continue lendo que me explico melhor.

Poker com o diabo conta o que acontece em um dia qualquer em que o diabo, isso mesmo, o chifrudo, o vermelhão, o sete-pele, o pata rachada, o senhor do sofrimento eterno, fica entediado. Ele então tem uma ideia no mínimo curiosa: promover uma partida de Poker entre ele e algumas almas selecionadas da sua lista.

Uma ideia bem simples que vai mostrando sua complexidade ao ponto que os jogadores/personagens vão se apresentando ao leitor. O diabo convoca para a jogatina uma parteira, um agiota, uma modelo, um pastor e um policial, além de uma figura misteriosa que tem papel crucial no desfecho. A regra principal para a partida é: se vencer, o jogador ganha sua liberdade do martírio. Se perder, terá seu sofrimento potencialmente aumentado. Aceitar ou não jogar fica a critério dos participantes.

O livro pode se chamar de “não tem ação aqui” visto que se desenrola todo ao redor de uma mesa de poker e nada de interessante pode vir disso, certo? ERRADO!

Com exceção do desfecho, o livro não mostra nenhum desenvolvimento maior para a trama. Contudo, a forma como o diabo lida com cada um dos personagens durante o jogo é que nos prende às páginas. Enquanto joga, com um de cada vez, o Diabo, talvez por pura diversão, faz o individuo se confrontar com aspectos de sua vida pregressa e como ele de fato foi parar ali, no inferno.

A jogada é que o autor usa simbologias do poker para fazer essas metáforas e uma porrada de críticas sociais. É, muitas vezes, angustiante ver como cada personagem olha para dentro de si antes de encarar que  de fato não há mais salvação. E como resultado, você acaba fazendo uma auto avaliação, e fica dividido entre odiar o condenado pelos pecados que cometeu e tentar se colocar no lugar e pensar "Poderia ser eu ali.


A trama não precisa de injeções de ação para fluir. Ela precisa apenas dos diálogos e as reações dramáticas geradas por eles. Falando em diálogo, preciso dizer que algumas vezes (bastante) o autor acaba caindo em clichês e jargões um tanto cansativos, mas nada que estrague o estilo que o autor está desenvolvendo aos poucos.

E o Diabo... o que dizer da figura do demônio nessa obra?

Meio batida, de início, mas que vai cativando aos poucos. O diabo no livro não é o senhor prepotente dos tormentos a que fomos apresentados nos sermões nas igrejas, ao menos, não é como ele se apresenta. Ele é um típico jogador de poker, daqueles bem velhacos que sabem como blefar e como ludibriar seus oponentes. Tudo gira em torno dele, mas é dos coadjuvantes que vem a ação dramática que faz a coisa toda andar.

A Ambientação é outro ponto bem interessante. Tudo é trabalhado pelo autor para passar a atmosfera esfumaçada de um salão de jogos. O autor quis atrelar sua trama a um ambiente menor, visto que para essa trama em especial, descrever detalhadamente os círculos e níveis do inferno não agregariam nada além de enchimento de linguiça. Essa coisa de misturar poker com diabo, inferno, blues, não vou mentir, me senti lendo algo nas páginas da revista Vertigo. E eu adoro Vertigo.

Por fim, tem o desfecho que mostra uma sacada bem colocada do autor, mas que claro, você vai ter que ler o livro para saber do que estou falando.

Italo Guimarães estreia mostrando que tem mão para fazer algo que muitos escritores penam para conseguir: falar muito com pouco. Seu livro pode ser curto, mas é de uma complexidade e carga emocional grande. Poker com o diabo é um suspense talhado no sobrenatural que pode até ser lido rápido, mas demorará um pouco para deixar sua mente. Fica a recomendação.

Se interessou? Você pode então adquirir seu exemplar direto com o autor, ou pela amazon.
Já leu o livro? Então comente. Diga se estou certo ou falando besteira. Não esqueça de curtir a comunidade de Poker com o Diabo no facebook

Dados da obra:

Título: Poker com o Diabo
Autor: Italo Guimarães
Número de páginas: 87 páginas
Editora: Garcia; Edição: 1 (23 de setembro de 2016)
Idioma: Português

Postagem mais recente Postagem mais antiga