#Resenha: Perna de Magia, de Priscila Barone

By | 09:14:00
Não há nada mais embaraçante do que ser enganado, principalmente por um livro
.
Perna de Magia, da Priscila Barone, publicado no Wattpad é um desses livros que te ludibria fácil.
A trama se passa em um universo fantástico, repleto de magia e seres místicos, onde os irmãos Renata, vulgo Ira dos sons e Toni, vulgo Perna de Magia, que tem esse apelido por, depois de ter perdido uma das pernas, substituí-la por outra feita de pura magia (uma sacada que de cara me chamou a atenção) iniciam sua saga.  Juntos, os irmãos saem em uma jornada em busca de uma cura para um mal que assola o jovem Toni.

Ai você folheia as primeiras páginas e vê muita magia, lugares com nomes difíceis de pronunciar, muitos seres estrambólicos e tudo que o pacote pede. Ai fica difícil não pensar: “Aff, mais uma fantasia feita de fanboy pra fanboy. Vou acabar dormindo aqui”. E é ai, meu amigo que você descobre que o livro engana, e muito.

Caso você vá um pouco mais páginas adentro, descobrirá um universo bem complexo, cheio de elementos únicos e peculiares. A autora teve a preocupação de dar ao seu mundo forma e historia, e ao longo do livro, esse plano de fundo vai tendo cada vez mais destaque.

Perna de Magia é um livro de aventura e fantasia. Porém, ele trata de assuntos um pouco mais complexos do que simples jornadas épicas. O livro trata de conflitos internos e mazelas das sociedades como preconceito, exclusão e até violência contra mulher. Os personagens são bem trabalhados um a um para expressar bem a preocupação da autora para com esses assuntos mais delicados.

Praticamente todos apresentam algum problema interno e isso é ótimo (não sou sádico, sério), pois imprime camadas a suas personalidades, os deixando mais palpáveis e fáceis de se apegar. Como o próprio Perna de Magia, que ao perder sua perna, passa a sentir-se como um mero fardo para os que lhe rodeiam e experimenta o gosto amargo da perca de sua autonomia, dependendo dos outros para quase tudo.

Depois que você realmente decide ler, logo percebe o ritmo frenético da trama que te leva de um lugar fantástico a outro em um piscar de olhos. Os próprios protagonistas refletem bem esses desejo de aventura.  É preciso parar um pouco para digerir tudo que se passa. Uma hora Ren e Toni estão voando em seu navio voador, em outra, estão na companhia de uma estranha em outra dimensão em busca de uma cura milagrosa, logo em seguida estão em uma vila criada por uma tal Dragoa das Águas. O ritmo é quase de um blockbuster, com pequenas lacunas emocionais e reflexivas para retomar o fôlego, as vezes fazendo uso de muitos flash-back's.

Uma das coisas que mais me surpreendeu nesse livro, além de seu universo, foi sua “fauna” de personagens. Não é como se a autora tivesse começado a escrever dissesse “aqui vai ter mago, aqui guerreiro e ali um elfo”. Não. Ela usa bem os arquétipos da fantasia, mas do seu modo, criando criaturas e lugares bem interessantes. Como exemplo posso citar os Omag's, magos imortais que chegam a esse patamar acumulando mais de um coração de magia, coisa que é conseguida vampirizando os poderes uns dos outros. Existem os Elementais dos quatro elementos, que são parte da natureza e podem fazer acordos com humanos para ceder a eles um pouco de seus poderes, os Lementhes, humanos dotados da habilidade de ler a mente e que estão quase extintos, os Avessos, magos corrompidos que foram dominados pela sua magia e literalmente foram virados do avesso. Além de muitos outros elementos fantásticos dignos de nota.

Nenhum personagem é colocado arbitrariamente. Todos tem um papel no quebra cabeça que é a trama, e sua própria historia, quando contada, enriquece ainda mais o universo em que vive, além da própria trama. E é divertido como a autora insere um personagem, e logo em seguida tem a preocupação de mostrar um pouco de seu passado, seus temores, fantasmas e tudo que o fez chegar até ali. Isso gera sub tramas que se entrelaçam, e se tem algo que eu gosto é de sub tramas.

Gosta de ver o pau cantando? Então esse livro é para você.

Combate é o que não falta durante todo o livro. Porém, mesmo sendo fã de um bom quebra-pau, fica difícil não ver um lado ruim nas lutas que a autora descreve. Nada contra.  É que realmente, para mim, é difícil achar um autor que descreva cenas de luta que não pareçam um script porcamente coreografado. Os combates são intensos com forte uso da magia; magia essa que na trama aparece mais como isso mesmo, um instrumento para lutas, derivando em várias técnicas e estilos de combates, coisa que, acho, deve ter forte influencias em quadrinhos e desenhos japoneses (ao menos, a coisa de fazer posições de mão para lançar feitiços eu achei muito Naruto).

Mas as lutas são apenas para dar uma sacolejada e uma acelerada na trama quando a mesma vai perdendo aquele pique frenético inicial. Pois o que realmente importa é o mistério que gira e vai crescendo em torno dos dois irmãos protagonistas. Tal mistério foi muito bem desenvolvido e resolvido pela autora no fim. Realmente, eu tenho de admitir que desacreditei que ela seria capaz de encaixar aquele monte de peças que foi jogando durante toda a historia. Que bom que eu me enganei.

Mesmo assim, não posso dizer que gostei da luta final. Penso que o desejo era de fazer algo épico, digno de um grande final. Mas acho que a autora passou da conta, e o que se viu foi uma luta cansativamente arrastada, que a cada golpe certeiro no vilão, eu pensava “agora sim acabou” e sempre que ele levantava eu pensava “Aff. Tá mais arrastado que o programa do João Cleber”.

Porém, mesmo com essa ultima luta maçante, o final não se estragou. Eu realmente curti as motivações de Elias, o vilão (personagem que eu realmente achei interessante e original) e ver como o jovem Perna de Magia conseguiu usar seu ultimo desejo para ajeitar as coisas. O gancho me deixou com vontade de ver mais, sendo assim, creio que o livro cumpriu bem sua missão, de entreter sem pretensões e deixar um gosto de quero mais.

Finalizando. O Livro Perna de Magia, de Priscila Barone, me deixou com um gosto bom na boca, pois depois de tanto tempo, eu já havia perdido a fé no Wattpad e sua enxurrada de "romances Hot xerocados".

Se interessou pelo livro? Você pode lê-lo de graça lá no Wattpad.
Visite a Fanpage de Pena de Magia no Facebook e siga a autora no Twitter.
Postagem mais recente Postagem mais antiga